CEFET-MG

Pesquisa do Fonaprace revela mudança de perfil dos estudantes dos cursos superiores públicos

Sexta-feira, 19 de agosto de 2016

O Fórum Nacional de Pró-reitores de Assuntos Comunitários e Estudantis (Fonaprace), órgão assessor da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), divulgou os dados da IV Pesquisa do Perfil Socioeconômico e Cultural dos Estudantes de Graduação.

Os alunos dos cursos superiores do CEFET-MG e das demais instituições de ensino superior responderam à pesquisa online de novembro de 2014 a janeiro de 2015. A investigação, organizada pelo Fonaprace, apresenta um cenário particular, recheado de inúmeros indicadores comprobatórios de que o ensino superior federal se tornou mais acessível, popular e inclusivo.

Autodeclarados pretos têm crescido em participação nas Ifes. Em 2003, eram 5,9%; em 2010, 8,72%; e em 2014/5 chegou a 9,82%. Pardos, na mesma trajetória, foram de 28,3% para 32,08 e em 2014/5 para 37,75%. Em outras palavras, 47,57% dos estudantes das Ifes são negros.

Na pesquisa constatou-se que 66,19% dos discentes vivem com renda per capita média familiar de até 1,5 salário mínimo, sendo que 31,97% vive com até 0,5 salário mínimo, e 21,96% vive com renda entre 0,5 e um salário mínimo. Dentro do perfil de vulnerabilidade social e econômica, os discentes que vivem com até um salário mínimo representam 81,47%.

Segundo a secretária de Política Estudantil do CEFET-MG, Márcia Feres, que participou do grupo de elaboração da pesquisa, a participação dos estudantes como sujeito central nesse processo fortalece a luta pela democratização do acesso ao ensino superior e a permanente defesa de uma universidade pública, gratuita, democrática e popular.

Os dados que desvelam a realidade de cada regional e instituição de ensino serão divulgados em breve.

Secretaria de Política Estudantil